A sensação da dor do treinamento

A sensação da dor do treinamento

Publicado por: Mauricio Garcia Publicado: 27/03/2019 Visitas: 192 Comentários: 0

Como definição pela associação Internacional do Estudo da dor, a dor é “...uma experiência sensorial e emocional desagradável, associada a lesões reais, potenciais ou descrita em termos de tais lesões. A dor é sempre subjetiva. Cada indivíduo aprende a utilizar este termo através de suas experiências anteriores”.

Muitas vezes ouvimos comentários de atletas que a dor faz parte do treinamento e que, para ganhar desempenho, é necessário ter dor. Interpretando mal esta informação, o atleta pode estar correndo sérios riscos.

A dor é a única forma que o corpo tem de se comunicar conosco e mostrar que algo não está bem. É necessário compreender as causas e tratá-las de maneira adequada.

As conquistas em nossas vidas, tanto no aspecto profissional como no esporte, devem ser adquiridas de forma progressiva, pois temos etapas a serem cumpridas que servirão de base para o próximo momento de treinamento. Se você pulou etapas, está correndo o risco de não alcançar seus objetivos, expondo seu corpo aos limites de sobrecarga e consequentemente às lesões.

Não confundam o sacrifício e a luta de alcançar suas metas como vencer o cansaço, alimentar-se sem as guloseimas, privar-se de alguns eventos sociais com o fato de ter que sentir dor para demonstrar empenho.

O tratamento da dor é complexo e requer esforço multidisciplinar, baseado em múltiplos enfoques do conhecimento humano.

A abordagem da dor crônica é absolutamente individualizada, cada dor é a "dor de uma pessoa", com a sua história, sua origem, seu contexto e seu momento. A dor é subjetiva, mas não é abstrata. Ela é sentida por alguém que precisa ser compreendido e respeitado, e que na maioria das vezes, encontra-se com medo de sua realidade: não entende por que tem dor, teme a causa da dor, teme sua doença, seu tratamento, seu prognóstico e a própria perspectiva de sentir (ou não) sua dor. Teme a perspectiva de experimentar uma nova (e pior) dor a cada momento, e que talvez não tenha controle.

SOBRE DR. MAURÍCIO GARCIA                      

Fisioterapeuta
Crefito 3/8090 - F  

    

 

  • Mestre Profissional em Ciências Aplicadas ao Aparelho Locomotor, pelo Departamento de Ortopedia da UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo – EPM
  • Especialista no “Aparelho Locomotor do Esporte” pela UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo – EPM
  • Qualificado pelo Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, como especialista em Fisioterapia Traumato-Ortopédica Funcional
  • Fisioterapeuta e Gestor do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte.
  • Fisioterapeuta Membro do C.E.T.E. – Centro de Traumatologia do Esporte – EPM – UNIFESP
  • Sócio Fundador da SONAFE – Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva
  • Delegado do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional – CREFITO 3

Plataforma Lattes: http://lattes.cnpq.br/9656277144816118

    

Comentários

Escreva o comentário